Porque amamos Batman Vs Superman

Por Ronan Pedrosa

Muito da avaliação que todos nós fazemos à um obra cinematográfica é influenciada pela expectativa que criamos antes de assisti-la. Se a expectativa for diferente daquilo que foi apresentado no filme, é bem provável que a pessoa vai achar ter sido melhor ver o filme do Pelé.

O objetivo desse artigo não é fazer uma crítica técnica, nem de convencer o leitor de que o filme foi bom, apenas apresentar alguns pontos que achamos excelentes. Afinal, haters gonna hate não importa o que se fale.

Que seria um filme recheado de referências nas HQ's da DC comics todos já perceberam pelo trailer, mas achar que a obra só seria baseada no clássico "O Cavaleiro das Trevas" de Frank Miller é ignorar a forma em que as adaptações para o cinema são feitas. 


A própria trilogia do Nolan, em seu primeiro filme, é uma mistura de algumas obras como "Ano Um" de Frank Miller e "O Longo dia das Bruxas" de Jeph Loeb, dentre outras.

Listamos aqui algumas outras novels em que as referências puderam ser observadas no filme (Contém Spoilers):


  • Flash - Crise nas infinitas terras (Sim, Flash realmente veio para alertar Batman. Não era só um sonho):
  • Injustice - Deuses entre nós (Superman se torna um tirano e governa o mundo sob seu próprio julgamento)
  • Superman - Paz na Terra (Incrível obra de Alex Ross, da qual nem preciso comentar):
  • Liga da Justiça Origens - Os Novos 52 (Darkseid invade a Terra, assim como mostra o pesadelo de Batman e a fala final de Luthor):
  • Batman - Morte em família (O uniforme do Robin pichado pelo coringa mostra a grande ligação a morte de Jason Todd).
  • A morte de Superman (O maior spoiler do filme é uma referência viva de uma das HQs mais polêmicas da história).
Alguns erros podem ter sido cometidos quanto à execução de algumas ideias; querendo ou não, são muitas alusões para um filme só.

As expectativas podem falhar também quanto à caracterização psíquica dos personagens. Muita gente reclamou da forma que Lex Luthir manipulava todas as outras pessoas, inclusive Batman. O que muitos não sabem é que Luthor é a maior mente da DC comics, assim como Reed Richards é da Marvel; e "manipulação" é sua marca registrada nas HQ's.

Presenciei também algumas queixas com relação à postura do Batman em respeito a violência contra os oponentes: "Afinal o Batman mata ou não mata?", "O Batman que eu conheço não é assim". Acredito que quanto à esses posicionamentos é preciso considerar duas coisas. Primeiramente, o próprio contexto do filme já mostra a insatisfação de Bruce a respeito de seus métodos. O mesmo já é um vigilante com anos de experiencia e, em um certo ponto da trama, diz à Alfred: "Criminosos são como ervas daninhas, você corta e elas nascem de novo". O outro ponto que precisamos ressaltar é que o "Batman que você conhece" é apenas uma versão das dezenas de representações no Multiverso DC. Cada um deles possui um caráter diferente.


Outra contestação foi no que concerne ao tempo da luta entre os dois heróis. Vale lembrar que o clima de rivalidade foi estabelecido desde o início do filme, com a destruição da torre Wayne em Metrópolis. O duelo foi apenas o ápice dessa guerra. E é preciso também observar que o filme tem o dever de desenvolver a criação da Liga da Justiça, segundo o próprio subtítulo.

E por último, a expectativa também vai frustar a avaliação se esperarmos um filme com o mesmo tom dos filmes de super-heróis da Marvel. O tom do universo da DC, desde a era de ouro até os dias de hoje, sempre foi mais sério e sem ambição de atingir todos os públicos. O universo cinematográfico reflete essa mesma imagem.

Enfim, amamos o filme porque foi uma tremenda overdose de HQ's e porque fomos assistir com o pé no chão. Críticos sempre vão pegar pesado e haters sempre vão continuar dizendo que tudo o que foi escrito aqui é besteira, mas o importante é que foi um filme muito inovador do gênero de HQ's e, por fim, está provocando bastante debate. Zack Snider cumpriu sua missão!