O sentido aranha

Não sou tão fã da história do Homem-Aranha. Talvez seja por não achar muito coerente a explicação de como ele se tornou um homem metade aranha. Acho um pouco estranho ele pegar alguns poderes da aranha, de genética modificada, que o picou e, não ter pego outras características mudando a sua aparência, por exemplo. Outra coisa que me incomoda muito são os seus inimigos, estes, definitivamente, são chatos e forçados. Mas o Homem-Aranha como super herói é fantástico!
É muito bacana vê-lo se balançado de um lado para o outro entre os prédios do Queens, subindo um arranha-céu só encostando as mãos e os pés nas paredes e vidros.
Mas uma coisa que poucos sabem é seu super-poder chamado sentido aranha, que acusa quando o perigo esta próximo a acontecer. Toda vez que algo de ruim vai acontecer com o Homem-Aranha ele sabe um pouco antes e usa o seu reflexo apurado para desviar e fugir do mal.
Na bíblia encontro esse poder no episódio do Getsemani, quando Jesus estava em Jerusalém, já tinha ceado com os seus discípulos e sabia de alguma forma que em breve o mal viria e seria algo terrível. Não foi a única vez que Jesus previu o futuro e a sua morte, mas desta vez foi muito forte. Seus amigos e discípulos não estavam entendendo e se importando, pois tinham caído no sono. A angústia o tomava e suas orações pareciam não ser escutadas. Cristo estava suando sangue ao prever a cruz.

“Com grandes poderes vêm grandes responsabilidades”. Dei este nome a esta série porque vivemos em uma época onde as pessoas buscam em Deus poder, uma fé super poderosa capaz de vencer as doenças e conquistar o poder e o dinheiro. O tio Bem antes de morrer fala isso para seu sobrinho Peter Parker (Homem-Aranha), mas ele não ouviu até experimentar a perda do próprio tio.
A grande diferença, nesse sentido, entre o super-herói Homem-aranha e Jesus é que o Homem-Aranha sempre se desvia do mal, evitando a morte, afinal de contas, por que ele iria morrer se, ele vivo pode evitar a morte de algumas pessoas?
Jesus ao prever o que viria, levanta-se e vai à procura de seu traidor, não para desviar do mal, mas para se entregar a ele, entregar-se a cruz. Jesus não faz o que é melhor para ele, o que seu instinto natural manda. Ele vai até a morte, pois vivo salvaria a si mesmo e a alguns, mas morto salvaria o mundo.
Não quero mais ser um super- herói, pois além deles não existirem, eles agem de acordo com o instinto. Quero ficar do lado de quem abriu mão do poder de ser um herói para ser o verdadeiro servo de Deus, quero ficar do lado de Jesus Cristo de Nazaré.
Que responsabilidade! Deus nos ajude.

Marcos Botelho é presbiteriano, teólogo, palhaço, missionário, pastor de jovens e adolescentes e autor dos livros Vida Cristã Fora da Caixa e Ontem Esponja, Amanhã Peneira.