4 Pastores relevantes nos universos Marvel e DC comics

Por Ronan Pedrosa

Nos universos dos quadrinhos, também podemos observar a existência de alguns "ministros do evangelho"; alguns mais sutis e outros extremamente polêmicos. Porém, o que todos eles tem em comum é que foram inspirados na visão real que temos de pastores da mídia e no que se transformou o cristianismo atual.

Reverendo Amos Howell

Alienígena com a aparência de pregador, a única aparição de Amos Howell não foi nos quadrinhos. O reverendo foi um personagem de Superman: a série animada, exibida na década de 90.

No episódio em que deu as caras, Howell atraía várias pessoas para sua "tenda do avivamento", evento muito comum nos Estados Unidos. Mas em vez de ver milagres, o fiéis tinham suas energias vitais sugadas pelo mestre de Amos, o alien Unidade.

Com seus grandes tentáculos, Unidade queria expandir sua seita por todo mundo, mas foi rapidamente impedido pela Supermoça e por Superman, que quase teve sua energia sugada também.

Pastor Norman McCay

Sendo um dos personagens principais da série O Reino do Amanhã (Escrita por Mark Waid e ilustrações de Alex Ross), Norman MacKay é um pastor que, passa por um crise de fé ao herdar de Wesley Dodds, o Sandman, algumas visões sobre um futuro apocalíptico. 

Esse futuro se passa em 2020, época que Superman e outros heróis haviam abandonado o combate ao crime já há alguns anos, mas se viram no direito de retornar para questionar os métodos dos novos super-seres, que eram destituídos de moral e preocupação pelo bem comum. O ressuscitado grupo heroico estabelece uma nova ordem em que, todos superseres que não se convertessem a ela, seriam aprisionados. Nem é preciso dizer que isso se tornou um verdadeiro caos mundial.

Norman é o narrador da obra. Transformado em um fantasma pelo Espectro, o pastor pôde ser testemunha de todos os fatos, sem ser visto, ouvido ou tocado.

Jesse Custer
Uma das HQ's memoráveis da VERTIGO é a Preacher. Essa série conta a história de Jesse Custer, um pastor de uma cidade do Texas. Jesse foi possuído por uma entidade conhecida como Gênesis, meio demônio meio anjo, que lhe deu o dom da "palavra", fazendo com que qualquer pessoa obedeça ao que ele diz. Ao lado de sua namorada Tulipa O’Hare e do vampiro irlandês Cassidy, sua missão é procurar Deus para cobrar que Ele assuma seu cargo novamente.
Aclamada por fãs e crítica, escrita pelo polêmico Garth Ennis, notavelmente desenhada por Steve Dillon, Preacher teve 66 edições e 6 histórias especiais — formando o apocalíptico número da besta, o 666 (credo)— construindo uma saga ousada que, conta com doses de profano, sagrado, ação, magia e humor negro.
William Stryker
Um dos maiores vilões não somente dos quadrinhos da Marvel, mas de toda a história das HQ's. Ex-militar do exército americano, Stryker ganhou sua fama em X-men: Deus ama, o homem mata, onde lidera uma cruzada por todo país, pregando à luz da Bíblia que Deus é contra todos os mutantes. 
William havia aderido essa ideia depois do nascimento de seu filho. Vendo ele que a criança era um mutante, assassinou-a juntamente com sua esposa e, por isso tentou se matar. Escapando milagrosamente da morte, William conclui que seu propósito é ser instrumento divino para livrar a Terra dos mutantes.
Usando trechos bíblicos durante a história toda, o pastor ganha uma gigantesca multidão de adeptos. Mas por trás dos púlpitos, Stryker comanda um grupo paramilitar secreto, que tem por missão assassinar mutantes.
É evidente que Chris Claremont, o autor da série, usa esse personagem para criticar os líderes fundamentalistas religiosos que usam da Bíblia para promover discursos de ódio contra a minoria homossexual.
A Bíblia é clara com relação a práticas pecaminosas, mas o convite ao arrependimento precisa ser feito com sabedoria e não por imposição. Se a maioria dos cristãos (deixando bem clara a ausência de generalismos) continuar com radicalismos e sentimentos de superioridade, continuaremos sempre inspirando personagens como esse.