Vendo além das maravilhas

Dia 18 de Julho, estreou nos cinemas brasileiros Transformers – A era da extinção. Ultimamente, o cinema tem dado bem mais espaço para filmes com robôs gigantes, monstros gigantes, explosões, destruição, etc, etc. O que vemos na Tela Grande é uma enxurrada de cenas espetaculares, grandiosas, até inimagináveis, coisas que realmente me fazem abrir a boca e dizer – “Uau!”. Talvez seja natural do ser humano se sentir atraído por grandes maravilhas, por grandes explosões, grandes demonstrações de poder de fogo. Quando criança, depois de assistir algo que me impressionava (o que não precisava ser grande coisa na época), saia contando para todo mundo, na esperança de que os outros também se impressionassem. Toda criança faz isso!
Após ter assistido esse último Transformers, comecei a refletir justamente sobre esse impulso que temos de sempre buscar o fantástico, o maravilhoso, o estupendo. Muitas vezes, agimos assim quando nos relacionamos com Cristo. Aliás, esse tipo de atitude não é de hoje. Na época de Moisés era assim: Êxodo 4.1-9 é um dos vários exemplos sobre essa necessidade do povo de ver o milagre. Jesus também passou por isso - Mais uma vez, ele visitou Caná da Galiléia, onde tinha transformado água em vinho. E havia ali um oficial do rei cujo filho estava doente em Cafarnaum. Quando ele ouviu falar que Jesus tinha chegado à Galiléia, vindo da Judéia, procurou-o e suplicou-lhe que fosse curar seu filho, que estava à beira da morte. Disse-lhe Jesus: "Se vocês não virem sinais e maravilhas, nunca crerão" - João 4:46-48.
É Interessante que em uma determinada ocasião Jesus repreendeu um de seus discípulos, Tomé, justamente em função disso - E Jesus disse a Tomé: "Coloque o seu dedo aqui; veja as minhas mãos. Estenda a mão e coloque-a no meu lado. Pare de duvidar e creia". Disse-lhe Tomé: "Senhor meu e Deus meu! " Então Jesus lhe disse: "Porque me viu, você creu? Felizes os que não viram e creram" - João 20:27-29.
O que realmente ansiamos quando nos relacionamos com Cristo? O milagre? A benção? Você já parou para pensar que Deus é bem melhor do que as coisas que Ele faz? A palavra “metanoia”, do grego antigo, é a expressão bíblica da qual traduzimos no novo testamento a palavra arrependimento. Metanoia significa transformação da mente ou entendimento, mudança da forma de pensar. Talvez não seja o milagre ou a maravilha aquilo que nós realmente precisamos, mas essa transformação de pensamento. Que essa mudança seja aquilo que nos falta para entendermos que Deus é bem melhor do que qualquer milagre ou benção que Ele tenha para nós.

Samuel Soares tem 25 anos, é auxiliar de TI, membro da Igreja Batista Aliança em Fortaleza - CE, e como é de se notar, um mega fã e entendido de cultura nerd.