Jesus Rocks - Entrevista com Brão Barbosa

Para comemorar o dia do rock, o blog trouxe para vocês uma HQ lendária! "Jesus Rocks" narra a história do maior astro do rock de todos os tempos: Jesus Cristo. 
Com o linguajar bem característico, a história é contada por um pai roqueiro ao seu filho, aprendiz de roqueiro. Tudo começa quando os dois encontraram um vinil velho chamado "The Son of Man" (O filho do Homem). A partir daí, toda a trajetória de Cristo é resumida em uma grande turnê da banda, composta por Jesus e mais 12  integrantes. 
Nós conversamos com o autor, Brão Barbosa, que tem 28 anos, é formado em administração e design gráfico e frequenta a igreja batista. De uma forma bem descontraída e "sem máscaras" como ele mesmo disse, Brão nos esclarece alguns pontos sobre sua história e fala um pouco sobre profissão, música e fé!

[Gospel e Nerd] De onde veio a inspiração para a elaboração da HQ?
[Brão Barbosa] Eu sou amigo do Ariovaldo Jr, já o conheço há um bom tempo. Então acompanho as paradas dele, no blog dele, ele fez uma postagem muito antiga que se chama “A História que ninguém contou”. É um conto curto em que ele fala da história de um cara que era Jesus, tinha uma banda e tal. Eu li e achei massa pra caramba a ideia do texto. Aí eu falei com ele que eu iria adaptar para os quadrinhos. Ele curtiu e a partir daí me deu carta branca. Então eu fiz o roteiro. A história criada pelo Ariovaldo Jr. é o norte central, mas os personagens – o pai e o filho – fui eu quem coloquei. As bandas, as músicas, a parada de Moisés, de Isaías, tudo isso também. Se você ler o conto dele depois, vai ver que é só a ideia básica da parada. E também eu estava a fim de fazer algum quadrinho, mas nunca achei que tinha a manha de escrever, então eu estava procurando uma história para poder desenhar. Apareceu essa parada, daí eu pensei se sairia alguma coisa aqui. Percebi que eu curto muito escrever, e fui tendo mais ideias para outros projetos meus.

[Gospel e Nerd] Você vê a junção das duas temáticas como uma forma de evangelismo?
[Brão Barbosa] É, porque é o que a gente curte. Eu vejo o evangelismo muito como o lance de vida, de vivência mesmo. Então acaba sendo. Eu sempre curti muito o som (Rock), e da minha adolescência pra cá, comecei a descobrir música, junto com o Tiago*. Eu sou assim e não tem como separar as paradas. É evangelismo porque o cara que me conhece sabe que eu curto ambas as coisas.

[Gospel e Nerd] O característico linguajar dos personagens roqueiros causou espanto por parte do público cristão? Ou teve uma boa aceitação?
[Brão Barbosa] Cara, eu posso contar duas ou três pessoas que comentaram isso comigo de uma forma negativa. De forma geral, o pessoal entendeu que é o linguajar do personagem e não misturou as coisas, ficou de boa. Eu vi que o personagem precisava disso. Não é uma coisa que está ali gratuitamente na cara do leitor a troco de nada. Eu precisava passar ali em poucas páginas a personalidade do personagem, e se eu o colocasse falando: “Maldição!”, “Raios!” não ia passar o que eu estava querendo com ele.

[Gospel e Nerd] Já dizia o Sr. Raul que o diabo é o pai do rock... Concorda?
[Brão Barbosa] Não, isso aí é mais velho que andar pra frente, isso é lenda de igreja. O cara soltou uma ideia no ar que os crentes que não curtem o som pegaram e acreditaram, mas está por fora esse negócio aí.

[Gospel e Nerd] Algumas Bandas como Queen usavam muito o discurso religioso em suas canções. Para você o que é (significa) o rock para o cristianismo e o cristianismo para o rock?
[Brão Barbosa] Eu acho que é mais a arte, com o cristianismo, a arte em geral é uma manifestação divina muito forte. É muito louco o peso espiritual que a música carrega, que a arte de um modo geral carrega. O povo fala mais da música porque é algo mais cotidiano, às vezes é uma ilustração, uma pintura ou uma escultura... eu tenho plena convicção que (essa arte) manifesta a presença de Deus. De um modo geral não só o Rock, ou a música, mas a arte.

[Gospel e Nerd] Em qual momento da sua vida você se encontrou com Deus? O que o relacionamento com Ele representa para você?
[Brão Barbosa] Eu nasci na igreja, e diferente de uma quantidade considerável de pessoas, eu sempre permaneci na igreja, sempre tive um relacionamento de perto com Deus. É essencial. Eu não sei o que é viver longe de Deus. Começando a falar frases prontas aqui: “Ele é o princípio e o fim” mesmo. Eu sempre tive uma vida na igreja, meio caretinha, e sempre fui satisfeito e feliz com isso.

[Gospel e Nerd] E por último, qual é o conselho que você dá para quem gosta de trabalhar com artes como você?
[Brão Barbosa] Persistir sempre e desistir jamais! (risos) Porque é complicado, cara. É uma parada que parece que nunca vai rolar. E mesmo quando está rolando, pelo menos eu fico assim: “pô, será que é isso mesmo? Será que esse negócio vai continuar dando certo?”. É uma questão de fé também! De orar e conversar com Deus. Mas é complicado, ficar pensando se não seria melhor fazer outra coisa, mas aos poucos vai dando certo. É uma parada que eu faço desde sempre. Sempre desenhei, sempre estive envolvido com isso, então é natural também. Já desacreditei, tanto é que o primeiro curso que eu fiz foi Administração. Aos pouco eu fui compreendendo que dava para trabalhar com isso. E aí fui pesquisando e dando as caras no mercado, conversando com o pessoal que já trabalha e foi indo!

Para você que ficou curioso e quer ler a HQ, clique nesse link!

Créditos finais:
*Tiago: amigo em comum, brother do Brão Barbosa e vizinho meu.
Entrevistado: Brão Barbosa, 28 anos, Ilustrador e Designer gráfico.
Entrevistador: Ronan Pedrosa, 21 anos, graduando em engenharia florestal
Revisão: Betânia Neves, 20 anos, graduanda em letras.